3 de setembro de 2018

Museu Nacional - a triste história do descaso estatal



As cenas do Museu Nacional sendo consumido pelas chamas ainda machucam os corações dos brasileiros e de grande parcela dos amantes de história e cultura no mundo, mesmo horas depois do incêndio ter sido controlado. Agora que tudo se resume a cinzas, a dor da perda se reflete na indignação pela negligência de um Estado marcado pela corrupção e pelo peso desigual com que a cultura e a subcultura são tratadas no país.
Bicentenário, o Museu Nacional guardava em suas salas – a maioria delas infestadas por cupins – muito mais do que duzentos anos de história. Entre as peças do acervo de 20 milhões de itens, encontravam-se fósseis de dinossauros, múmias embalsamadas com métodos singulares e artefatos de tribos indígenas extintas. Uma perda imensurável. Uma revolta que extrapola as fronteiras nacionais.
O aspecto mais relevante da tragédia anunciada é o descaso do governo brasileiro. O projeto de incêndio do museu tramita há mais de 5 anos no BNDES, emperrado por seus técnicos burocratas e pelo instituto de patrimônio, IPHAN, que, sob o argumento de proteger o acervo, delongou o processo. Outro ponto que deixa a todos incrédulos é a constatação de que, até o presente mês de 2018, o museu recebeu pouco mais de R$50 mil para despesas de manutenção do edifício, sendo que o orçamento mínimo necessário seria de R$ 600 mil reais. Tal valor é inferior a um par de brincos que a antiga primeira dama Adriana Ancelmo comprou para si, utilizando dinheiro desviado do governo do Rio de Janeiro. E o que dizer da Lei Rouanet? Tomando conhecimento de que R$5.8 milhões foram destinados a shows “artísticos” como o de Cláudia Leite, R$1,7 milhão para a produção de Peppa Pig e R$500 mil para o dvd do MC Guimê, resta-nos todos concluir: não vivemos em um país sério.
Oportunista e ridícula é a súbita união de forças articulada nesta manhã pelo “presidente” Temer, a fim de reunir recursos para a rápida reconstrução do Museu. Meu caro, devo dizer que o seu esforço está um pouco atrasado...
E atrasado segue o nosso país. Mentes atrasadas, políticos que nos embaraçam moral e economicamente. Que futuro esperar de uma nação que não preza pelo seu passado?