7 de abril de 2013

Cicatrizes da Vida



Delícia ver a pele de um bebê. Tão lisinha e perfeita, sem nenhuma cicatriz. E aí o bebê cresce, vira uma criança e, um dia, cai e tem um corte profundo. Os dias passam, o machucado sara, mas fica uma cicatriz. A criança cresce e, um dia talvez, fará uma cirurgia. Mais uma cicatriz, que simboliza um momento, triste ou alegre, que vai ficar para sempre. São marcas que surgem com o tempo para permanecer; e nunca mais nos deixar. São as nossas cicatrizes da vida.

Assim somos nós. Todos nós vamos colecionando pequenas ou grandes cicatrizes no decorrer de nossas vidas, no corpo e na alma. Eu descobri a alguns meses que tenho uma hérnia de disco e um desgaste na coluna. E, pelo resto da minha vida, tendo sintomas ou não, terei de me exercitar e cuidar da minha coluna com prioridade. Uma amiga querida teve um problema com sua retina que, simplesmente, se rasgou; e terá de fazer sessões de laser, com regularidade de agora em diante. São nossas cicatrizes do corpo... E o que dizer do pai que perdeu sua filhinha, que nem chegou a completar três anos de idade? É uma dor imensa, que nunca vai passar; uma cicatriz profunda na alma desse pai, da qual ele vai se lembrar por todos os seus dias. Igualmente dolorosa é a dor da mulher que perdeu um grande amor por culpa de seus próprios atos. O seu erro não poderá ser desfeito e ela não será perdoada. O amor se foi, mas a cicatriz na alma ficou.

Cicatrizes, no corpo e na alma, nós ganharemos, pois faz parte desta louca aventura pela qual passamos, que se chama Vida. O que vai diferenciar as pessoas umas das outras é como elas irão lidar com suas marcas profundas. Como você vai agir e viver com a suas cicatrizes? Vai reclamar do mundo e entrar em depressão? Vai se considerar a mais azarada e infeliz das pessoas? Ou vai compreender e aceitar que a sua cicatriz existe porque faz parte da sua vida e é algo que você não pode mudar? Entendendo a sua situação e, principalmente, aceitando-a, você vai fazer de tudo para viver bem com a existência da sua cicatriz?

Digo com propriedade, o caminho é esse: viver bem com as suas marcas, ou pesos, ou provações, em suma, tudo aquilo que você não pode mudar e com o qual vai ter de conviver para sempre. Viver bem, aceitar a situação e fazer o que for possível para ter qualidade de vida e paz de espírito é o que você precisa fazer a partir deste momento. Muitas pessoas não aceitam o sofrimento, a doença e a perda. E não aceitando, sofrem novamente a cada dia por aquela dor. É algo que não se cicatriza, continua ferida aberta e mata a pessoa, um pouquinho a cada dia. 

Aceite as situações ruins que surgirem na sua vida. Permita que as suas feridas se curem. Conviva sempre da melhor maneira com as suas cicatrizes. Certas coisas você não pode mudar. Mas, você pode sim, mudar a maneira com que você lida com as suas cicatrizes. E, tratando-as de uma maneira positiva, você terá uma vida muito mais plena e feliz!



8 comentários:

  1. Olá querida Kate! ADORO esta seção do blog! Com certeza, aceitar aquilo que não podemos mudar é a postura mais sensata que podemos adotar para ter uma vida mais feliz. A cicatriz mais profunda que carrego foi ter perdido minha única irmã, a 6 anos atrás, e de uma hora para a outra, ter me tornado filha única. Dói muito, até hoje. Mas a vida segue, não é mesmo? Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro... Não conta para ninguém, segredo tá, mas é minha seção preferida do blog, rsssss... Bjos!

      Excluir
  2. Kate e suas belas e sábias palavras... Aceitar o que acontece na nossa vida é mesmo essencial para que viver não se transforme em um sacrifício. Cada pessoa tem seu tempo, algumas aceitam mais facilmente, outras precisam de um pouco mais de tempo para entender o que acontece. Mas creio que o principal é sempre tentar, querer aceitar, pois uma hora a aceitação acontece, e a paz de espírito surge. É um exercício diário, mas com fé em Deus, nós conseguimos lidar de uma forma cada vez menos dolorosa com situações difíceis.
    Beijos e uma ótima semana!
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fácil não é mesmo, Maria. Vc bem disse: exercício diário... Fé, sempre!

      Excluir
  3. AMEIIIIIIIIIIIIII o post,nossa Kate eu também tenho hernias de disco na coluna lombar no meu caso são duas e um desgaste também eu fiquei com fortes dores da cintura para baixo andava segurando nos móveis o médico falou que eu poderia fica sem andar,com muita fé,aceitação,fisioterapia,tratamentos, exercícios físico,estou a um ano e meio sem fortes dores graças meu querido Deus,evito fica muito tempo sentada ou muito tempo em pé parada,e assim vou vivendo essa vida maravilhosa que Deus nós deu.Beijinhos boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só quem tem sabe o que é hérnia de disco, não é Carmem! Passei por maus bocados, mas vi gente muito pior do que eu na sala de espera do médico. Atualmente também estou recuperada, sem dor, mas ainda em reabilitação. Cuidar para o resto da vida!!!

      Excluir
  4. Linda mensagem Kate, eu digo que remoer o passado é sofrer duas vezes.

    Ótima semana, fique com Deus.

    ResponderExcluir